Como declarar pagamento de pensão alimentícia no IR

Como declarar pagamento de pensão alimentícia no IR 2021
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Entenda a diferença entre dependente e alimentando, qual pensão pode ser deduzida e como informar os dados corretamente

Pago pensão alimentícia judicialmente. No meu informe de rendimentos consta o nome e CPF da minha ex-mulher. Tenho dois filhos com ela, e pago plano de saúde para os dois. Devo informar na declaração ela como alimentanda e os dois filhos como dependentes no plano de saúde? 

PERGUNTA DO INTERNAUTA JAILTON

Resposta: Não. Como você faz os pagamentos por determinação judicial, todos são alimentandos, inclusive seus filhos. E só poderá deduzir as despesas com plano de saúde com eles se isso estiver determinado na sentença judicial.

ENTENDA COMO DECLARAR PAGAMENTO DE PENSÃO ALIMENTÍCIA NO IR2021

Qual a diferença entre dependente e alimentando?

Dependente e alimentando são figuras diferentes na declaração do Imposto de Renda e normalmente aquele que é dependente não pode ser considerado alimentando na mesma declaração (com uma única exceção, explicada mais abaixo, no texto).

Quem é o dependente?

A Receita Federal tem uma relação de pessoas que ela permite incluir como dependentes na declaração do Imposto de Renda.

Alguns exemplos são: o cônjuge, filhos, pais, avós, pessoas que os contribuintes tenham a guarda judicial ou de quem a pessoa seja tutor ou curador. Porém não é todo filho que pode ser dependente nem todo pai.

A Receita Federal tem regras bastante rígidas para permitir a inclusão de um dependente. Por exemplo: um avô só pode incluir um neto na declaração como seu dependente se tiver a guarda judicial da criança. Filhos têm limite de idade. Pais, limite de renda. E assim por diante.

E quem é o alimentando?

O alimentando é o beneficiário de uma pensão alimentícia judicial ou decidida por meio de escritura pública que o contribuinte ficou incumbido de pagar.

O alimentando não tem limite de idade, podendo ser uma criança e também um adulto. Se o juiz decidiu que o contribuinte deve pagar uma pensão alimentícia a alguém, seja um ex-marido, ex-mulher, um filho, um pai, então essa pessoa é chamada “alimentando”.

O que é possível deduzir com o dependente?

O contribuinte pode deduzir, consigo mesmo e também com seus dependentes, os seguintes valores, caso opte por fazer a declaração completa:

– R$ 2.275,08 por ano por dependente;

– até R$ 3.561,50 por ano com gastos com educação

– alguns tipos de despesas médicas, sem limite de gastos

– contribuição à Previdência Oficial e também à previdência privada

O que é possível deduzir com o alimentando?

O contribuinte que paga pensão alimentícia judicial ou acordada por meio de escritura pública em cartório pode deduzir integralmente o valor pago a título de pensão alimentícia.

Mas só o que foi decidido pelo juiz. Se o contribuinte separado resolve pagar as despesas de um filho sem que o juiz tenha determinado isso em uma sentença então ele não poderá deduzir estes valores da declaração.

Também é importante lembrar que só é possível deduzir da pensão alimentícia as mesmas despesas que a Receita entende como dedutíveis, como educação e despesas médicas.
Se a sentença obrigar quem paga a pensão alimentícia a cobrir os gastos com aluguéis, condomínio, material escolar ou remédios, por exemplo, essas despesas não são dedutíveis.

É possível ser dependente e alimentando ao mesmo tempo?

Sim, mas apenas em uma única situação.

Normalmente, o contribuinte que paga pensão alimentícia para ex-cônjuge, filhos, pais, não pode incluir estas pessoas como seus dependentes, mas há uma única exceção a essa regra.

No ano em que os alimentandos deixaram de ser dependentes e passaram a receber a pensão alimentícia, eles podem ser incluídos tanto como dependentes quanto como alimentandos.
Isso acontece porque se a pessoa foi um único dia dependente do contribuinte no Imposto de Renda, ela poderá constar como tal na declaração.

Quer um exemplo? Vamos supor que o filho fosse dependente de seu pai até o mês de maio de 2020. Em junho, saiu a sentença que determinou ao pai pagar a pensão alimentícia para o seu filho. A partir de junho de 2020, portanto, esse filho é também um alimentando.

Na declaração do IR 2021 (que abrange o ano-calendário de 2020), essa criança poderá constar como dependente e também como alimentando na declaração.

Mas na declaração dos próximos anos, este filho só poderá constar como alimentando e não mais como dependente de seu pai.

Como declarar o pagamento com alimentando?

Esta declaração deve ser feita na ficha “Pagamentos Efetuados”. Os tipos de pensão alimentícia estão determinados sob os códigos 30, 31, 33 e 34.

Assim que escolher o código (por exemplo, código 30 – pensão alimentícia paga a residente no Brasil), informe os dados do alimentando e o valor pago.

E as despesas com educação e com saúde?

Se a sentença determinou que o contribuinte também fizesse os pagamentos com instrução e despesas médicas (como plano de saúde), estas devem ser declaradas nos códigos próprios para esse fim (que estão todos na ficha Pagamentos Efetuados).

Lembre-se de que, ao declarar o pagamento feito a um alimentando, é preciso marcar este dado para que a despesa seja corretamente declarada.

Lembre-se de guardar todos os documentos relativos à declaração do Imposto de Renda por no mínimo cinco anos, pois, se cair na malha fina, a Receita pode exigir a comprovação dos valores declarados.

Fonte: https://noticias.r7.com/

Outras notícias

Confira outras notícias que pode lhe interessar

Ditadura militar lembrar para nunca esquecer
Tem-se falado muito sobre a volta da ditadura. Mas será que todos sabem ao certo, o que foi este movimento? É sobre i...
Saiba como investir a 1ª parcela antecipada do 13º salário do INSS
O adiantamento da primeira parcela 13º salário do INSS vai acontecer neste mês, você já pensou o que fazer o valor. V...
Pais buscam apoio de professores particulares na pandemia
Profissionais da educação e famílias relatam as dificuldades de aprendizagem enfrentadas pelos estudantes com as aula...
Com terapia genética, paciente cego recupera visão parcialmente
Técnica que combina terapia optogenética e estimulação luminosa foi utilizada em paciente com doença degenerativa
H5N8 tem potencial para se tornar nova pandemia, dizem cientistas
Variação da gripe aviária já provoca surtos entre aves e foi detectada pela 1ª vez em humanos em russos de fazenda av...
COI tranquiliza japoneses e garante Jogos Olímpicos seguros no Japão
População do país teme que a realização da competição, que começa no dia 23 de julho, cause um pico de casos de covid-19
INSTITUTO BARBERINI
Av. Paulista, 575 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01311-000
Copyright ©2023
INSTITUTO BARBERINI
Av. Paulista, 575 - Bela Vista, São Paulo - SP, 01311-000
Copyright ©2023
Atendimento por WhatsApp
Departamento de Anúncios
Anúncios
Atendimento das 08:00 às 17:00hs de segunda a sexta.
Atendimento por WhatsApp
Departamento Imprensa
Eventos e Palestras
Atendimento das 08:00 às 18:00hs de segunda a sexta.
Atendimento por WhatsApp
Departamento de Anúncios
Anúncios
Atendimento das 08:00 às 17:00hs de segunda a sexta.
Atendimento por WhatsApp
Departamento Imprensa
Eventos e Palestras
Atendimento das 08:00 às 18:00hs de segunda a sexta.

INSTITUTO BARBERINI

Copyright ©2023

Este site utiliza cookies para garantir que você tenha a melhor experiência. Ao clicar em 'ok" e continuar navegando, você concorda com a nossa política de privacidade